Justiça determina que Alexandre Nardoni volte para o regime fechado

Alexandre Nardoni estava em regime semiaberto desde o final de abril. (Arquivo Blasting News)

O Tribunal de Justiça julgou o recurso do Ministério Público e determinou que o perfil psiquiátrico de Nardoni seja avaliado.

por (VB) Vou Te Contar! (artigo e vídeo)

O Tribunal de Justiça determinou que Alexandre Nardoni retorne para o regime fechado. Condenado por matar a filha Isabella Nardoni, Alexandre cumpre pena em regime semiaberto desde o final de abril deste ano, no complexo de Tremembé, no interior de São Paulo. O detento foi beneficiado com a saída temporária de Dia dos Pais e deverá retornar ao presídio na próxima quarta-feira (14).

De acordo com o Tribunal de Justiça, ainda não se sabe se o retorno ao regime fechado irá influenciar no benefício da “saidinha”.

A decisão foi publicada nesta terça-feira (13) e é uma resposta ao recurso interposto pelo Ministério Público acerca da concessão ao semiaberto. Os advogados de Nardoni afirmaram que irão recorrer da decisão. Isabella Nardoni tinha apenas 5 anos quando foi morta pelo pai, Alexandre Nardoni, e pela madrasta, Anna Carolina Jatobá, em 2008.

Perfil psiquiátrico de Nardoni será avaliado

De acordo com o G1, a 4ª Câmara de Direito Criminal do TJ, responsável por julgar o recurso do Ministério Público, determinou, ainda, que seja realizado em Alexandre Nardoni o teste de Rorschach, mais conhecido como “teste do borrão de tinta”.

A avaliação deverá ser realizada em caráter de urgência. Este exame é capaz de avaliar com precisão traços da personalidade dos pacientes submetidos à análise, podendo até mesmo identificar a probabilidade dos mesmos cometerem crimes novamente. O exame também analisa se o paciente possui aptidão para retornar à sociedade.

Segundo o relator do caso, o fato de Nardoni já ter cumprido o tempo suficiente para conquistar o benefício da progressão de pena não basta para que lhe seja concedido o regime semiaberto.

De acordo com os desembargadores, tendo em vista o fato de Alexandre ter cometido um crime hediondo, é necessária mais de uma avaliação para determinar se o mesmo tem condições de retornar ao convívio social.

Em um trecho da decisão, o desembargador Euvaldo Chaib afirma que é necessário, cautela na análise do perfil psiquiátrico de Nardoni, tendo em vista a frieza e indiferença apresentadas pelo agravado em assassinar a própria filha. Chaib afirma, ainda, que não identifica em Alexandre, traços de remorso e arrependimento pela morte de Isabella.

O crime

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá foram condenados pelo homicídio triplamente qualificado de Isabella Nardoni. Na sentença, a Justiça concluiu que Isabella foi asfixiada e lançada do sexto andar do apartamento onde o casal morava na zona norte da capital paulista.

Em agosto de 2017, após ter cumprido dois quintos de sua pena, Jatobá teve o regime semiaberto concedido após apresentar bom comportamento na prisão.

De acordo com carcereiros do Complexo de Tremembé, Nardoni seria um dos detentos mais dedicados ao trabalho e aos estudos dentro do presídio. Dentre suas atribuições, Alexandre confecciona cadeiras de ferro e madeira que são utilizadas na rede pública de ensino de São Paulo.

fonte:>>>https://br.blastingpop.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *