Procon interdita Leites Elegê e Parmalat por excesso de formol; em outras marcas foram encontrados sangue e pus

É bem provável que você cresceu com a sua mãe dizendo que você devia beber leite para ter ossos mais fortes, porque o leite tem muito cálcio e vitamina. Pois bem, você já pode dizer a sua mãe que ela esteve errada durante todo esse tempo.

Pesquisadores de Harvard explicam que leite para alem de fazer mal à nossa saúde contem varias toxinas, sangue e pus. Acompanhe neste artigo.
Uma coisa é fato: a industria do leite de vaca está com seus dias contados. Nós últimos anos, as pesquisas relacionadas aos benefícios ou malefícios do consumo de leite de vaca pelo ser humano cresceu exageradamente. A busca é a mesma: Leite de vaca realmente faz bem à saúde humana?

Na Universidade de Harvard, David Ludwig, que é médico e doutor especializado em nutrição, publicou diversos artigos científicos em que assegura que os seres humanos não têm nenhuma exigência nutricional de consumo de leite animal.

Segundos os médicos e nutricionistas o leite materno é o único que tem os níveis de proteína, cálcio e vitaminas essenciais à saúde na proporção correta.

TODO leite de vaca contém 59 hormônios ativos, vários alérgenos, gordura e colesterol. A maior parte do leite de vaca contém quantidades mensuráveis de herbicidas, pesticidas, dioxinas (até 2.200 vezes o nível aceitável), até 52 antibióticos poderosos, sangue, pus, fezes, bactérias e vírus.
(O leite da vaca pode conter resíduos de tudo o que a vaca come… inclusive coisas como restos radiativos de testes nucleares – não esqueçam o problema do estrôncio-90 na década de 50).

Um renomado médico americano, Dr. Mark Hyman, especialista em prevenção de doenças crônicas, faz diversos alertas sobre o leite.

”Laticínios tem muitas proteínas alergênicas, como a caseína, por exemplo, que causa muitos problemas para muita gente. Para piorar ainda mais, o leite da indústria hoje vem com muito mais potencial para provocar inflamações e diabete e até mesmo câncer.”
O CÂNCER DE MAMA ESTÁ ASSOCIADO AO CONSUMO DE LEITE

A indústria produtora de leite nunca teve uma queda tão grande em sua economia. As pessoas estão parando de consumi-lo e isso vem crescendo nos últimos anos.

Essa rejeição dos consumidores tem um grande e relevante motivo, além dele possuir em sua composição todas estas coisas nojentas e nocivas à nossa saúde, ele também, por consequência, é bastante cancerígeno.

Um estudo foi feito com mulheres que tinham câncer de mama. Dividiram o grupo em 2 e a um foi retirado do cardápio delas o leite e para outro grupo o consumo não foi interrompido.

Assustadoramente, os tumores nos seios das mulheres que pararam de consumi-lo reduziram de tamanho e alguns até mesmo desapareceram. O grupo que continuou a consumir não teve melhora alguma em seu quadro, elas apenas pioraram.

Para alem de tudo referido anteriormente devido a alta necessidade de produção para atender a demanda, a indústria leiteira ainda exige muito mais das vacas do que elas poderiam dar.

Devido a produção massiva de leite sem descanso as vacas ganham feridas, por isso, inevitavelmente, todo leite contém quantidades relativamente significativas de pus e sangue.

No Brasil É permitido, por lei, até 1 milhão de célula de Pus e sangue no seu Leite, por Litro. Basicamente um shot dessa maravilha!

Segundo a escritora Sônia Felipe Sônia Felipe, o leite em caixinha produzido no Brasil ocorre de forma industrializada somente para mascarar as contaminações do leite causadas pelo sangue e pelo pus dos animais que sofrem com inflamações nos mamilos

Além disso, esses animais não são alimentados da forma correta. A alimentação regrada de restos de outros animais, grãos, pesticidas e antibióticos são passados para o leite durante a digestão da vaca.
Leite é retirado de mercado por excesso de sangue, pus e toxinas! Veja se é a sua marca!
Devido à inviabilidade da indústria de retirar as células somáticas – ou pus – do leite na entrega do seu produto final, a Contagem de Células Somáticas (CCS), um critério mundialmente utilizado por indústrias, produtores e entidades governamentais para o monitoramento de mastite em rebanhos e para a avaliação da qualidade do leite, foi defenida no Brasil de 1.000.000 cel/mL de pus e sangue, mais do dobro do que em Portugal e no resto da União Europeia que somente permite a quantidade de 400.000cel/mL

Procon Carioca suspendeu, de forma preventiva, a venda do leite da marca Elegê na cidade, após denúncias de consumidores que se sentiram mal ingerindo o produto.

“Quanto aos riscos à saúde e à segurança, foi constatada não conformidade no produto em razão da presença de traços de formaldeído (formol), o que poderá gerar riscos à saúde e à segurança dos consumidores”.
Para alem do leite da marca Elege também foi encontrado formol nas seguintes marcas:

Leite Parmalat, com numeração de lote não sequencial compreendida entre os intervalos L11D00S1 a L11F23S1.

E leite Líder colocadas no mercado com numeração de lote compreendida entre os intervalos A LOB 11, B LOB 9, C LOB 17, D LOB 04, A LOB 12, B LOB 19, C LOB 18 e D LOB 14.

Estudo em humanos e animais indicam que o formaldeído inalado a determinado nível pode ser irritante para o trato respiratório e olhos, bem como para a pele e sistema gastrointestinal por via direta (contacto) e oral respectivamente.

Carcinogenicidade (avaliação do potencial cancerígeno)
Em quatro instituições internacionais de pesquisa foi comprovado o potencial carcinogênico do formaldeido.

De acordo com dados da EMBRAPA, uma quantidade significativa de vacas apresentam casos clínicos de mastite, uma inflamação nas glândulas mamárias. Esta inflamação, estimulada pelo estresse muito acima do normal, acaba sendo responsável pela contaminação do leite com células somáticas (vulgo pus) e sangue.

COMO O LEITE FAZ MAL

Ainda segundo Sônia Felipe, pós-doutorada em Bioética afirma que o leite de vaca não é bem digerido pelo organismo humano por questões biológicas. Como grande parte dos seres humanos já não produzem a enzima que permite digerir o açúcar do leite, a lactose, as pessoas sofrem com sérias disfunções digestivas.

Segundo a evidência existe um aumento do risco de cancro da próstata mas parece ter um papel protetor no cancro coloretal, cancro da mama, cancro da bexiga e no cancro do gástrico/estômago. E no global não tem qualquer impacto na mortalidade. Também não tem relação com doenças auto-imunes, doenças alérgicas nem com o autismo.

O leite pode causar resistência à insulina, que pode levar à diabetes, hipertensão, obesidade abdominal, síndrome do ovário policístico, câncer de mama e acne, tudo isso por causa dos laticínios que aumentam muito a liberação de insulina (hormônio que leva glicose para dentro da célula) pelo pâncreas.

No mais, a pasteurização do leite, processo que mata as bactérias nocivas, também elimina grande parte das propriedades nutritivas do leite. Ou seja, essa história de que o leite de vaca tem mais cálcio não é verdade.

O leite é fundamental para a nossa alimentação? Não…já que nos dias de hoje existe uma grande quantidade de comida disponível e dezenas de alternativas.

Compartilhe esta informação para o bem das crianças e adultos que ainda pensam que o leite é a melhor opção para o cálcio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *